31 de dezembro de 2012

Segunda Saudável: Rúcula

Google Imagens

A rúcula, cujo nome científico é Eruca sativa, é uma planta herbácea, anual, de pequeno porte, pertencente à família Brassicaceae da qual estão inclusas mais de três mil espécies, entre elas o repolho, o nabo e a couve. Nativa do mediterrâneo e introduzida no Brasil com a chegada dos imigrantes italianos, a rúcula tem sido cultivada por conter folhas comestíveis de sabor picante característico, muito apreciadas por serem nutritivas e saborosas. Estas folhas, que possuem forma alongada, podem ser encontradas em tons que variam do verde-claro ao verde-escuro, sendo consumidas em várias partes do mundo cruas em saladas, como também refogadas, cozidas e como ingrediente de várias receitas. 

As folhas de rúcula possuem um perfil nutricional bastante atrativo. Elas são ricas em vitamina A, C, fibras, proteínas, e minerais como o potássio, ferro e enxofre. Por conter pouquíssimas calorias (uma xícara contém cerca de 10 kcal), a rúcula pode estar presente em dietas de emagrecimento. Além disto, as folhas são antianêmicas, antiasmáticas, antiescorbúticas, depurativas, digestivas, diuréticas e aperientes. No entanto, não devem ser consumidas em excesso, pois neste caso as folhas causam enjôos e vômitos. 

Cultivada no jardim de casa ou comprada no supermercado é importante antes de consumir as folhas de rúcula, lavá-las devidamente para remover todas as sujeiras, como também os possíveis parasitas impregnados que podem causar sérios danos a saúde. Sob refrigeração a rúcula pode ser armazenada em no máximo quatro dias, sendo recomendado guardá-las em sacos plásticos contendo furos. Em condições ambientes ela deve ser consumida em no máximo um dia, desde que a parte de baixo da hortaliça esteja mergulhada na água. 

Planta de fácil cultivo e adaptada a climas amenos, onde as temperaturas estejam em torno de 15 a 20 graus Celsius, as rúculas se desenvolvem bem o ano todo. No entanto, necessitam de solos bem drenados, ricos em matéria orgânica, férteis e com acidez baixa. A produção de rúcula no Brasil se concentra principalmente nas regiões Sul e Sudeste, e a espécie mais cultivada é a Eruca sativa Miller. 

Assim como qualquer outra planta, a rúcula também esta exposta aos ataques de várias pragas agrícolas. Das pragas mais comuns que atacam as rúculas, podemos destacar a largata-da-couve, a largata-rosca, a largata mede-palmo, a traça-das-folhas e os pulgões. Várias doenças como a ferrugem branca das folhas, a mancha de Cercospora, a mancha de Alternaria, a mancha de Septoria, a podridão Mole e a Fusariose, podem estar presentes nas rúculas quando cultivadas erroneamente ou devido a fatores externos. 

Fonte: InfoEscola / Wikipédia 


Artista da semana...Raul Seixas


Raul Santos Seixas (Salvador, 28 de junho de 1945 — São Paulo, 21 de agosto de 1989) foi um cantor e compositor brasileiro, frequentemente considerado um dos pioneiros do rock brasileiro. Também foi produtor musical da CBS durante sua estada no Rio de Janeiro, e por vezes é chamado de "Pai do Rock Brasileiro" e "Maluco Beleza". Sua obra musical é composta de 21 discos lançados em seus 26 anos de carreira e seu estilo musical é tradicionalmente classificado como rock e baião, e de fato conseguiu unir ambos os gêneros em músicas como "Let Me Sing, Let Me Sing".Seu álbum de estreia, Raulzito e os Panteras (1968), foi produzido quando ele integrava o grupo Os Panteras, mas só ganhou notoriedade crítica e de público com as músicas de Krig-ha, Bandolo! (1973), como "Ouro de Tolo", "Mosca na Sopa", "Metamorfose Ambulante". Raul Seixas adquiriu um estilo musical que o creditou de "contestador e místico", e isso se deve aos ideais que vindicou, como a Sociedade Alternativa apresentada em Gita (1974), influenciado por figuras como Aleister Crowley. 

Raul se interessava por filosofia (principalmente metafísica e ontologia), psicologia, história, literatura e latim e algumas crenças dessas correntes foram muito aproveitadas em sua obra, que possuía uma recepção boa ou de curiosidade por conta disso. Ele conseguiu gozar de uma audiência relativamente alta durante sua vida, e mesmo nos anos 80 continuou produzindo álbuns que venderam bem, como Uah-Bap-Lu-Bap-Lah-Béin-Bum! (1987) e A Panela do Diabo (1989), esse último em parceria com Marcelo Nova, e sua obra musical tem aumentado continuamente de tamanho, na medida em que seus discos (principalmente álbuns póstumos) continuam a ser vendidos, tornando-o um símbolo do rock do país e um dos artistas mais cultuados e queridos entre os fãs nos últimos quarenta anos. Em outubro de 2008, a revista Rolling Stone promoveu a Lista dos Cem Maiores Artistas da Música Brasileira, cujo resultado colocou Raul Seixas figurando a posição 19ª , encabeçando nomes como Milton Nascimento, Maria Bethânia, Heitor Villa-Lobos e outros. No ano anterior, a mesma revista promoveu a Lista dos Cem Maiores Discos da Música Brasileira, onde dois de seus álbuns apareceram Krig-ha, Bandolo! de 1973 atingiu a 12ª posição e Novo Aeon ficou em 53º lugar ,demonstrando que o vigor musical de Raul Seixas continua a ser considerado importante hoje em dia. 

Fiquem agora com “Ouro de Tolo”, uma das minhas favoritas. Grande abraço e até semana que vem. 



Long Live, Rock’n Roll \o/  e Feliz 2013!


0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Curta nossa Fanpage!

Receber Receitas

Tecnologia do Blogger.

Seguidores

Arquivo do blog

Visitantes