28 de fevereiro de 2013

Sinalizador não é brinquedo

Google Imagens
Durante a estréia do Corinthians na Taça Libertadores da América, um jovem boliviano morreu atingido por um sinalizador. Mais uma vez este artefato destinado ao uso marítimo foi usado indevidamente. O incêndio na boate de Santa Maria teve inicio após a utilização de um desses. Tornou-se hábito a utilização de sinalizadores em estádios e outros grandes eventos, porém, a preocupação com a segurança é totalmente nula. 

Em primeiro lugar esses artefatos não são objetos inofensivos que podem ser utilizados em qualquer lugar, eles tem local e função específicas. Utilizados fora do seu contexto, para fazer graça, tornam-se armas perigosas, os acontecimentos estão aí para nos mostrar isso. 

Como imaginar então que alguém pode alegar que não sabia do risco que corria ao acionar o artefato? Infelizmente isso é muito comum, pois um dos resultados de nossa educação tão deficiente é que as pessoas não são estimuladas a pensar. Agem primeiro, para depois avaliarem os resultados. 

Não apenas nesses casos, mas é um absurdo que as pessoas digam que não sabiam do risco que corriam após provocarem “acidentes” desse tipo. “Não tive intenção de matar” disse o jovem que assumiu o disparo. Mas não sabia do perigo? Essa desculpa não resolve o problema, qualquer um sabe – ou deveria saber – que em locais públicos em meio a uma multidão, os riscos aumentam muito. Um simples copo de plástico torna-se uma arma, quem dirá um sinalizador. 

É preciso conscientização, é preciso que as pessoas pensem antes de agir. Que se lembrem que estão indo para uma festa e que querem voltar bem para casa, da mesma forma, todas as pessoas que estarão lá querem o mesmo. Precisamos pensar mais em nossas ações, e se por algum motivo, imaginarmos que talvez algo de ruim possa acontecer, devemos repensar nossas ações. Depois não adianta chorar e se lamentar, as marcas deixadas não se apagarão facilmente. 

Os verdadeiros responsáveis devem ser responsabilizados pelos seus atos, e todos nós devemos pensar mais antes de agir. 


27 de fevereiro de 2013

Molho Tártaro


Esse molho tártaro é algo tão simples de fazer e fica com um sabor incrível. Eu, particularmente, adoro colocá-lo nos nuggets, batatas e peixes. Até com uma torradinha no final do dia fica incrível. Vamos prepará-lo hoje mesmo? Veja como é rápido:


Ingredientes:
3 colheres (sopa) de maionese
1 colher (sopa) de mostarda
1 cenoura pequena cortada em cubinhos pequenos (opcional)
3 colheres (sopa) de picles cortado em cubinhos (coloquei pepino, cenoura e bambu)


Modo de Preparo:

Em um recipiente, misture todos os ingredientes e  sirva em seguida. Você pode servir o molho geladinho, basta levar à geladeira por, no mínimo, 30 minutos antes de servir.

Bom Apetite!




26 de fevereiro de 2013

Salada de Batatas e Ovos


Essa é uma das saladas de batatas que mais gosto. Tudo muito simples de fazer e rápido. Que tal prepará-la hoje mesmo?


Ingredientes:
4 batatas médias cozidas
4 ovos cozidos
1 cebola pequena ralada
½ limão
3 colheres (sopa) de maionese
Sal


Modo de Preparo:

Corte as batatas cozidas em cubos médios e os ovos em rodelas. Em um recipiente, misture as batatas, os ovos e tempere com o suco de ½ limão, a maionese e uma pitada de sal. Sirva em seguida.

Se preferir, você pode servir geladinho, fica uma delícia também.

Bom Apetite!


25 de fevereiro de 2013

Segunda Saudável: Taioba

Fonte: InfoEscola

É uma raiz utilizada como digestivo, pois tem a propriedade de regularizar as funções intestinais.

É originária de regiões tropicais e se adapta bem à maior parte do clima encontrado no Brasil. É utilizada como digestivo, pois tem a propriedade de regularizar as funções intestinais.

Em sua composição, encontramos cálcio, fósforo, ferro, proteínas e uma grande quantidade de vitaminas: vitamina A, vitaminas B1, B2 e vitamina C. Tanto o talo quanto as folhas apresentam os mesmos elementos, apenas em proporções diferentes. Nas folhas, encontramos mais ferro e mais vitamina A. O valor energético para cada 100g de talo é de 24 calorias, enquanto que, nas folhas, temos 31 calorias para as mesmas 100g.

Cultivar a taioba não é muito difícil, pois as folhas se reproduzem rapidamente, podendo serem cortadas sempre que atingirem o tamanho desejado. As melhores épocas para o cultivo são o verão, outono e a primavera. A colheita é feita quando as plantas estão maduras, o que ocorre cerca de sessenta a oitenta dias após o plantio.

Existe uma crendice popular que fala sobre a existência de uma espécie venenosa de taioba, que não poderia ser ingerida pois causaria até a morte. Mas isso não tem qualquer base científica. A taioba é totalmente comestível, sem oferecer qualquer risco à saúde humana. Assim como o seu parente, o inhame, podemos aproveitar o tubérculo, as folhas e as hastes da taioba. 

Fonte: Tudo sobre plantas / Wikipédia 



Banda da semana...Thin Lizzy


Thin Lizzy é uma banda de hard rock da Irlanda, formanda em Dublin no ano de 1969. A banda foi liderada, ao longo de sua carreira, pelo cantor e compositor Phil Lynott, e são conhecidos por hits como "Whiskey in the Jar", "Jailbreak" e "The Boys Are Back in Town", todos sucessos internacionais tocados regularmente em estações de rádio especializadas em hard rock e rock clássico. Após a morte de Lynott, diversas encarnações da banda surgiram ao longo dos anos, que culminaram numa formação mais estável baseada em torno dos guitarristas Scott Gorham e John Sykes. Sykes abandonou a banda em junho de 2009. 

Como líder do Thin Lizzy, Lynott compôs ou co-compôs a maior parte das canções da banda. Também foi um dos poucos negros a conseguir algum sucesso significativo no hard rock. Além de ser multirracial, a banda também se notabilizou por recrutar membros em ambos os lados da fronteira irlandesa (com membros nascidos na Escócia, Irlanda do Norte, Inglaterra e, ainda, Estados Unidos), e das comunidades católica e protestante da ilha.Sua música reflete uma ampla gama de influências, incluindo a country music, o rock psicodélico, a música irlandesa e a música tradicional folclórica daquele país; porém é classificada geralmente como hard rock ou, por vezes, heavy metal.A revista Rolling Stone descreveu a banda como "distintamente hard rock", "muito distante da matilha zurrante de meados da década de 70". 

John Dougan, crítico do site Allmusic, escreveu que "como a força criativa da banda, Lynott era um compositor mais inteligente e perspicaz que muitos de sua classe, preferindo os dramas de amor e ódio cotidianos da classe operária, influenciado por Bob Dylan, Van Morrison, Bruce Springsteen e virtualmente quase toda a tradição literária irlandesa."Van Morrison, Jeff Beck e Jimi Hendrix foram grandes influências durante o início da banda,e entre as influências posteriores estão os artistas americanos Little Feat e Bob Seger. Em maio de 2010 foi anunciado pelos remanescentes do Thin Lizzy um retorno com uma nova formação para 2011. 

Em outubro de 2012, o THIN LIZZY anunciou que não iria mais gravar nenhum material novo sob o nome Thin Lizzy. A última encarnação da banda - Scott Gorham, Brian Downey, Darren Wharton, Ricky Warwick, Damon Johnson e Marco Mendoza - estariam pensando em formar um novo projeto. 

Hoje surge uma nova banda formada por ex-alunos do Thin Lizzy Ricky Warwick (vocal), Scott Gorham (guitarra), Damon Johnson (guitarra), Marco Mendoza (baixo) com a nova adição de Jimmy DeGrasso (ALICE COOPER, MEGADETH, DAVID LEE ROTH, SUICIDAL TENDENCIES) na bateria. A mudança surgiu quando Brian Downey não queria mais se comprometer com turnês e um novo álbum e Darren Wharton queria se concentrar no DARE e outras músicas, além de projetos cinematográficos. 

O Black Star Riders está programado para entrar em estúdio em Los Angeles em janeiro de 2013, para começar a gravar seu primeiro álbum com o lendário Kevin Shirley (LED ZEPPELIN, IRON MAIDEN, AEROSMITH, RUSH). O álbum contará com material que a banda escreveu enquanto estava em turnê como Thin Lizzy, mantendo o som e a pegada clássica, com muito mais. Um álbum do Black Star Riders é o próximo passo na evolução da história do Thin Lizzy. 

Fiquem agora com “Whiskey in the Jar”, um grande clássico do rock e uma das minha favoritas. Grande abraço e até semana que vem. 



Long Live, Rock’n Roll \o/ 







22 de fevereiro de 2013

Chico Balanceado



Essa sobremesa é uma combinação deliciosa de texturas. Explico: temos a primeira camada composta por banana com caramelo; a segunda é aquele creme branco com leite condensado; a última é o suspiro bem crocante. Não tem como ficar ruim!




Ingredientes do Caramelo: 
4 bananas nanicas em rodelas 
10 colheres (sopa) de açúcar 
½ xícara (chá) de água quente 


Ingredientes do Creme Branco: 
1 litro de leite 
1 lata de leite condensado 
3 gemas 
2 colheres (sopa bem cheia) de amido de milho (maisena) 
15 gotas de essência de baunilha 
½ colher (café) de canela em pó 


Ingredientes do Suspiro: 
3 claras 
2 colheres (sopa) de açúcar 
Gotas de limão 



Modo de Preparo: 

Etapa 1: Em um panela de fundo grosso, coloque o açúcar e leve ao fogo baixo. Quando o açúcar derreter por completo, adicione a água quente (muito cuidado nessa etapa). Deixe no fogo baixo até formar uma calda grossa (não precisa mexer com a colher). Após, despeje a calda de caramelo em um pirex e espalhe as bananas em rodelas por cima. Reserve. 

Etapa 2: No liquidificador, bata metade do leite, o leite condensado, a maisena, a baunilha, a canela em pó e as gemas (passe pela peneira antes) por 1 minuto. Despeja o conteúdo em uma panela com o restante do leite e leve ao fogo baixo até formar um creme consistente. Desligue o fogo e deixe esfriar. Coloque esse creme por cima do caramelo e das bananas. Reserve. 

Etapa 3: Bata as claras em neve na batedeira. Quando estiver no ponto, acrescente o açúcar e algumas gotinhas de limão. Continue batendo por mais 2 minutos. Espalhe esse suspiro por cima do creme branco e, após, leve ao forno até dourar bem. 

Aguarde esfriar e após coloque na geladeira por 3 horas antes de servir. 

Bom Apetite!




21 de fevereiro de 2013

Samba, suor, cerveja e responsabilidade

Google Imagens
Finalmente o carnaval acabou e nosso ano começará! Esta festa popular tem o poder de conduzir nossas vidas. Costumamos fazer planos para os dias de festa: vamos viajar, curtir o carnaval de rua, vamos descansar, vamos visitar parentes e amigos distantes, enfim, sempre planejamos alguma coisa. Mesmo aquelas pessoas que não gostam de carnaval, se programam para o carnaval, um retiro espiritual costuma ser a opção preferida dos religiosos por exemplo. 

A origem desta festa, também chamada pagã, está na Grécia antiga, nos festejos ao deus do vinho Baco. Ao longo do tempo, muitos povos tiveram suas festas populares que foram se somando até chegar aqui no Brasil e ao misturarem-se com a música e a dança dos escravos alforriados, o samba estava criado. Os cortejos, cordões e finalmente as escolas de samba, seguidos pelo trio elétrico e pelo frevo, formaram o que hoje é o nosso carnaval. 

Para quem gosta de curtir, de ir aos bailes, seguir o trio elétrico, aos desfiles de rua ou ficar em casa com o som alto e a churrasqueira acesa, a atenção teve que ser redobrada, pois a lei seca está muito mais rígida e criteriosa. Ainda assim, os acidentes não deixaram de acontecer. Vidas continuaram sendo perdidas no transito em decorrência da péssima mistura entre álcool e direção. Mas ao menos os números caíram, e mesmo que essa queda tenha sido considerada baixa já é um avanço. 

Ainda há quem reclame: “quer dizer que agora não posso nem mesmo comer um bombom de licor?”. Sim, o rigor está aí para nos proteger, para proteger nossos filhos. Se os motoristas fossem mais responsáveis e educados não precisaríamos dessa lei. 

Esse rigor é para nos educar, coisa que deveria ter sido feita há muito tempo. Mas sempre é tempo de aprender, para que todos nós possamos curtir todas as festas sem perigo. Infelizmente, o transito brasileiro mata mais que muitas guerras que ocorrem no mundo atual. Samba, suor e cerveja são muito bons, mas a responsabilidade é ainda melhor!


20 de fevereiro de 2013

Costela na Pressão e ao Forno


O meu bem amado pediu tanto para que eu fizesse costela bovina no domingo passado, que não resisti e fiz com muito amor e carinho. Resultado? Comeu tanto que depois não queria levantar da cama de tanta preguiça (rs). O diferencial dessa receita é que existem 2 etapas: na pressão para deixar a carne bem molinha e ao forno para ficar sequinha, mas bem suculenta. 



Para preparar, você precisará de:
2kg de costela bovina cortada em pedaços grandes 
1 colher (sopa) de sal temperado (pimenta, sal, orégano) ou sal fino comum 
2 cebolas grandes em rodelas 
4 dentes de alho 
2 limões 
100g de bacon em cubos médios 
2 copos (requeijão) de água 


Modo de Preparo:

Tempere os pedaços de costela com o sal, o alho e o suco dos 2 limões. Reserve. 

Na panela de pressão, frite o bacon na própria gordura. Quando estiver bem dourado, coloque a costela e frite por 10 minutos. Junte as cebolas e, após, a água, tampe a panela e deixe em fogo alto até iniciar a pressão. Após, abaixe o fogo e deixe cozinhar por 40 minutos. 

Desligue e aguarde sair toda a pressão. Abra a tampa e retire os pedaços de costela e acomode-os em uma travessa (por cima, coloquei fatias cozidas de cebola). Leve ao forno médio pré-aquecido por 20 minutos. 

Sirva com mandioca cozida ou arroz e saladas. 

Bom Apetite!





19 de fevereiro de 2013

Omelete de Forno



Sabe aqueles dias que você quer uma receita vapt-vupt? Essa daqui é daquelas: mexeu, assou, tá pronto! Você pode colocar recheios de sua preferência, como atum, presunto, salsicha, azeitonas, tomate seco.... olha só como pode variar. Nessa versão, fiz com muçarela e ervilhas. Vamos conferir?


Ingredientes:
5 ovos 
1 colher (sopa) de farinha de trigo 
1/2 xícara (chá) de leite 
1 lata de ervilhas
100g de muçarela ralada
1 colher (sopa) de fermento em pó 
2 colheres (sopa) de cheiro verde
1 colher (café) de orégano 
1 colher (sopa) café de sal 
margarina para untar a forma


Modo de Preparo:


Em um recipiente, coloque os ovos e bata com um garfo até a textura de omelete. Dissolva a farinha no leite e junte aos ovos. Mexa bem. 

Acrescente o queijo, as ervilhas, o sal, o cheiro verde e misture. Em seguida acrescente o fermento em pó. 

Despeje essa mistura em uma travessa refratária untada com a margarina. Leve ao forno médio pré aquecido e deixe assar por, aproximadamente, 20 minutos. 

Bom Apetite!


18 de fevereiro de 2013

Segunda Saudável: Tâmara

Google Imagens

Apreciada por seus frutos doces, a tamareira é uma das árvores mais antigas que conhecemos. São cultivadas no norte da África há pelo menos 8000 anos. Estas árvores do deserto são extremamente férteis e produzem mais de 200 tâmaras por cacho. 

As tâmaras frescas são classificadas em três categorias de acordo com a umidade de seu conteúdo: macia, semimacia e seca. A maioria das tâmaras existentes é semimacia e vendida fresca; as secas, depois que parte de sua umidade foi evaporada, também são vendidas. 

Com 60 a 70% do seu peso proveniente de açúcar, as tâmaras são umas das frutas mais doces que existem. Meia xícara (que corresponde a aproximadamente 12 tâmaras de tamanho médio) tem cerca de 275 calorias – muito mais que a maioria das frutas. As tâmaras são ricas em potássio: 12 tâmaras fornecem 650 mg, muito mais do que a mesma quantidade de outros alimentos ricos em potássio, como a banana e a laranja. Doze tâmaras também fornecem quase 10% da Ingestão Diária Recomendada (IDR) de ferro, niacina e vitamina B6, bem como 6 g de fibras. Entretanto, as tâmaras praticamente não têm vitamina C. 

A tâmara contém tiramina, um composto orgânico encontrado em queijos envelhecidos, algumas carnes processadas, vinho tinto e outros produtos. As pessoas que estiverem tomando inibidores de monoaminoxidase (MAO) para tratar de depressão devem evitar tâmaras, por que a tiramina pode interagir com essas drogas e produzir um aumento perigoso da pressão arterial. Em algumas pessoas, a tiramina também pode desencadear crises de enxaqueca. 

Após comer tâmaras, é muito importante escovar os dentes. Tanto as frutas frescas como secas são grudentas e, devido ao seu alto teor de açúcar, podem provocar cáries. Portanto, é muito importante eliminar todos os resíduos que possam ficar grudados nos dentes. 

Fonte: Poder das Frutas / Wikipédia 


Banda da semana...Titãs


Titãs é uma banda de rock brasileira formada em São Paulo na década de 80. Ativa há mais de 25 anos, tornou-se uma das mais famosas do Rock, ao lado de Legião Urbana, Os Paralamas do Sucesso, Barão Vermelho, Ira! e entre outras.

Algumas de suas músicas de maior sucesso são Sonífera Ilha, Flores, Polícia, Comida, Marvin e Epitáfio. Em toda a carreira, foram vendidos cerca de 4,5 milhões de discos.

A maioria dos integrantes da banda se conheceu no Colégio Equipe, em São Paulo, no final da década de 1970 e, a partir de uma apresentação no próprio colégio, no ano de 1981, passaram a fazer shows em várias casas noturnas da cidade.

A primeira formação contava com nove integrantes — Arnaldo Antunes , Branco Mello, Marcelo Fromer, Nando Reis, Paulo Miklos, Sérgio Britto, Tony Belloto, Ciro Pessoa e André Jung. Além da quantidade exagerada de vocalistas no palco (seis ao todo), a banda, que na época se chamava Titãs do iê-iê, chamava a atenção por seu visual extravagante, que incluía penteados estranhos, maquiagens, ternos e gravatas de bolinhas.

Em 1984, sem Ciro Pessoa, a banda assinou contrato com a gravadora WEA para gravação do primeiro álbum, produzido por Pena Schimdt, que, apesar de modesta vendagem, colocou a banda nas rádios com o hit — "Sonífera Ilha" — e garantiu aos Titãs as primeiras aparições na TV em programas famosos da época, como Clube do Bolina, Raul Gil e Cassino do Chacrinha.

Em 1985, com Charles Gavin no lugar de André Jung na bateria (Jung hoje é baterista da banda Ira!), ocorreu o lançamento do álbum "Televisão", produzido por Lulu Santos, com arranjos um pouco melhores do que os do disco anterior. As vendas foram modestas, mas a banda bando ganhou espaço e qualidade.

Os oito músicos nas apresentações televisivas destoavam entre si, tanto no figurino como na maneira como dançavam, mas isso não impedia a qualidade das músicas com letras inocentes, apenas faltava algo que estava preso e que precisava explodir.

Em novembro de 1985, Tony Belotto e Arnaldo Antunes foram presos (o primeiro por porte e o segundo por porte e tráfico de heroína). Belotto foi libertado sob fiança mas Arnaldo Antunes permaneceu atrás das grades por mais tempo.

O episódio teve um grande impacto na banda. Ofertas de shows escassearam e os Titãs perderam sua aura de "inocência" diante da mídia.

Mas em junho de 1986 a banda finalmente encontrou seu caminho, e respondeu com "Cabeça Dinossauro", álbum que trouxe um novo Titãs, que é considerado o melhor da Banda, e segundo muitos, o melhor do rock brasileiro de todos os tempos.

As faixas tinham ritmos pesados, com influência punk e letras contundentes que não poupavam as instituições da sociedade brasileira ("Estado violência", "Polícia", "Igreja", "Família").

Mesmo que as emissoras se recusassem a tocar as músicas de "Cabeça Dinossauro", o disco ganhou paulatinamente o público. Após um começo de turnê desapontador (shows para 30 ou menos pessoas), as apresentações cada vez mais agressivas, dispensando-se o apelo pop de outrora, passaram a atrair milhares de pessoas, algumas até se tornaram lendárias, como o do Teatro Carlos Gomes, no Rio de Janeiro.

O marketing espontâneo não demorou muito e, por fim, os Titãs ganharam seu primeiro disco de ouro. Sem outra alternativa, as emissoras tiveram que aceitar as músicas, e algumas se deram ao luxo de tocar inclusive as faixas censuradas, como "Bichos Escrotos", mesmo que tivessem que pagar multas.

"Jesus Não Tem Dentes no País dos Banguelas", lançado no final de 1987, continuou o trabalho do álbum anterior em faixas como "Nome aos Bois", "Lugar Nenhum" e "Desordem", porém acrescentou um toque de modernidade ao utilizar samplers, uma novidade na época, em faixas como "Corações e Mentes", "Comida" e "Diversão".

Após algumas apresentações internacionais, a banda gravou ao vivo uma seleção de músicas antigas e lançou o álbum "Go Back", em 1988.

O produtor Liminha sempre foi um parceiro importante da banda desde "Cabeça Dinossauro" e esta parceria chegou ao auge em "Õ Blésq Blom", uma das produções mais populares até então.

Entre as músicas de destaque trazia "Miséria", "Flores", "O Pulso" e "32 Dentes". Um dos destaques curiosos deste trabalho foi a participação especial do casal de repentistas pernambucanos "Mauro e Quitéria", descobertos pela banda numa praia de Recife.

Lançado em 1991, na baixa do mercado fonográfico brasileiro oriunda da crise econômica do governo Fernando Collor de Mello, "Tudo ao Mesmo Tempo Agora" foi um baque para os críticos, defensores incondicionais da banda.

O disco marca uma retomada da estética de "Cabeça Dinossauro", no entanto mais cru, com mixagem irregular e canções escatológicas. Num arroubo de confiança, os próprios integrantes produziram o disco e o fracasso comercial do trabalho foi possivelmente o estopim para a saída de Arnaldo Antunes, que passou a se dedicar a uma carreira solo.

"Titanomaquia" de 1993 continuou o trabalho anterior, com uma instrumentação "pesada" e letras escatológicas, mas com a novidade de contar com a produção de Jack Endino, produtor de bandas importantes como o Nirvana. A mídia se mostrou mais receptiva, mas as vendagens continuaram modestas.

Em 1995 o Titãs se separou, e durante um ano vários integrantes aproveitaram para produzir trabalhos solo, tocar com outras bandas, ou mesmo para se aventurar por outros tipos de atividade, como foi o caso de Tony Belotto, que publicou o seu primeiro livro.

Ao lançar Domingo no final de 1995, a banda assumiu definitivamente sua vocação pop e sua popularidade alcançou um segundo ápice no trabalho comemorativo de 15 anos, o Acústico MTV, que vendeu 1,7 milhões de cópias, seguido de Volume Dois, no mesmo formato do Acústico, 800 mil cópias vendidas. A gravação de covers de outros artistas em As Dez Mais apesar de suas 400 mil cópias vendidas representou um ponto baixo em termos artísticos, com a crítica reavivando sua virulência dos tempos de Tudo Ao Mesmo Tempo Agora. A banda resolveu fazer um segundo intervalo sabático em 2000.

Em 11 de Junho de 2001 o guitarrista Marcello Fromer foi atropelado por uma moto em São Paulo e morreu dois dias depois. Foi um duro golpe para a banda, que iniciaria no dia seguinte a gravação de mais um trabalho. A Melhor Banda de Todos os Tempos da Última Semana foi lançado no fim de 2001 e trouxe "Epitáfio" como destaque, canção que poderia representar o momento vivido pela banda, que, após perder Marcello Fromer, viu a saída do baixista e vocalista Nando Reis, interessado em investir em sua carreira solo.

Apesar dos reveses, com o lançamento de Como Estão Vocês? no final de 2003, os Titãs mantiveram a estética de seus últimos discos, apostando em baladas e mensagens de auto-ajuda, por um lado mantendo uma sólida legião de fãs adolescentes, por outro ocasionando a rejeição de seus fãs mais antigos.

A mídia já há uma década considera a banda como uma espécie de "dinossauro" do pop rock brasileiro, desprovida de maior relevância artística.

Recentemente, em 2005, lança o segundo disco ao vivo de sua história, e o primeiro gravado no Brasil, "MTV Ao Vivo", com algumas musicas dos 25 anos de história da banda e com as inéditas "Vossa Excelência", "Anjo Exterminador" e "O Inferno São Os Outros".

É inegável que os Titãs, graças a seus discos clássicos da segunda metade dos anos 1980, têm lugar de destaque na história da música popular brasileira da segunda metade do século XX, bem como continuam influenciando bandas contemporâneas.

Jovens artistas brasileiros que se destacam por seu conteúdo "engajado" e letras "inconformistas" são também corriqueiramente associados aos Titãs, principalmente da fase Cabeça Dinossauro. 

Fiquem agora com uma das minhas preferidas “Vossa Excelência”. Grande abraço e até semana que vem. 


Long Live, Rock’n Roll \o/ 





17 de fevereiro de 2013

#Resultado do Sorteio


Chegou o dia do sorteio dessa sopeira super fofa em cerâmica. Quem será que foi o(a) sortudo(a) dessa vez, hein? No total, tivemos 121 participantes de várias cidades e estados do Brasil.

O site Random, especialista em sorteios eletrônicos, escolheu o número 114 como ganhador.


E o número escolhido corresponde à participante Lucélia Bordonal da cidade de Sales Oliveira - São Paulo. Parabéns, Lucélia. Entraremos em contato para procedermos a entrega do seu mimo.


Se você não foi o ganhador, não fique triste. Em breve, o Brincando de Cozinhar e Cia terá mais sorteios especiais!
14 de fevereiro de 2013

Bolo de Achocolatado


Vi essa receita no site M de Mulher e fiquei apaixonada logo de cara. Separei os ingredientes, aliás tinha todos no meu armário, e corri para prepará-lo. Resultado: um bolo super fofinho, não é enjoativo e com gostinho de "quero mais". Se eu fosse você, faria agorinha mesmo =)


Ingredientes:
2 ovos
1 xícara (chá) de óleo
1 xícara (chá) de leite
2 xícaras (chá) de farinha de trigo
1 xícara (chá) de achocolatado (usei Nescau)
1 xícara (chá) de açúcar
1 colher (sopa) de fermento em pó

Calda: 
3 colheres (sopa) de manteiga
5 colheres (sopa) de achocolatado
5 colheres (sopa) de açúcar
8 colheres (sopa) de leite 



Modo de preparo: 

No liquidificador, bata os ovos, o óleo e o leite. Em uma tigela, peneire a farinha de trigo, o achocolatado, o açúcar e o fermento. Junte a mistura do liquidificador. Despeje a massa em uma forma de 22 cm de diâmetro com furo central, untada com manteiga e enfarinhada. Asse por 30 minutos ou até que, ao enfiar um palito na massa, ele saia seco. 

Calda: Em uma panela, misture a manteiga, o achocolatado, o açúcar e o leite. Leve ao fogo e deixe ferver por cinco minutos, mexendo sempre até engrossar. Com um garfo, fure o bolo e regue com a calda ainda quente. Sirva a seguir.

Bom Apetite!



13 de fevereiro de 2013

Feijão Vermelho com Bacon


Para mim, esse é o melhor feijão que existe. Não sei explicar o porquê, mas acredito que seja o paladar mesmo. Aqui no interior de São Paulo, utilizamos com mais frequência o feijão carioquinha para o dia a dia. Assim, quando ganhei essa maravilha de feijão vermelho, fiquei apaixonada. Vamos a receita?


Ingredientes:
1 pacote (500g) de feijão vermelho tipo 1
2 litros de água
3 dentes de alho
100g de bacon em cubinhos
Sal


Modo de Preparo:

Lave o feijão em água corrente. Coloque os grãos em uma panela de pressão e acrescente os 2 litros de água. Tampe e leve ao fogo alto até iniciar a pressão.

Após o início do apito, reduza a chama do fogo e deixe cozinhar por 40 minutos.

Desligue e aguarde sair toda a pressão.

Abra a tampa e retorne a panela ao fogo baixo. Enquanto isso, frite os pedaços de bacon até dourar bem. Coloque-os sob o feijão cozido. Na mesma panela do bacon, doure o alho na própria gordura do embutido. Acrescente ao feijão e tempere com o sal.

Para engrossar o caldo, cozinhe em fogo alto, com a panela aberta por mais 10 a 15 minutos. Mexa de tempo em tempo e amassando alguns grãos com a própria colher.

Bom Apetite!

12 de fevereiro de 2013

Arroz com Bacon e Uvas Passas Claras


Vamos dar um "tapa no visu" no nosso arroz do dia a dia? Essa ideia é bem simples, mas muito saborosa com a combinação de bacon e uvas passas. Experimente!


Ingredientes:
3 xícaras (chá) de arroz cru 
6 xícaras (chá) de água fervente 
100g de bacon em cubinhos 
100g de uva passa branca (clara) 
3 dentes de alho picadinhos 
sal 


Modo de Preparo:

Corte o bacon em cubinhos e leve ao fogo baixo até ficar bem douradinho. Junte o alho e mexa até dourar. Adicione o arroz e refogue por alguns minutos e, após, coloque a água fervente. Tempere com o sal. 

Deixe cozinhar em fogo alto até aparecer os primeiros “buraquinhos” no nível do arroz. Diminua a chama e deixe a panela semitampada até a água secar por completo e o arroz ficar cozido. 

Desligue o fogo e aguarde o arroz “descansar” com a panela fechada por 10 minutos. Após, solte o grão com o auxílio de um garfo e acrescente a uva passa. Misture bem e sirva em seguida. 

Bom Apetite!


11 de fevereiro de 2013

Segunda Saudável: Seriguela (Siriguela)

Google Imagens

O fruto originário das Américas, de gosto peculiar – entre cítrico e cáustico – tem grafia diferente de acordo com a região do Brasil. Há uma contradição até mesmo nos dicionários. 

O Aurélio afirma que a fruta se chama siriguela, com s e i. Já o Houaiss diz que se escreve com s e e: seriguela. Existem até alguns lugares que a chamam de ciruela. 

O único nome correto, sem alterações ou distinção é o científico: Spondias purpurea da família das Anacardiaceae e da ordem Sapindales. 

Pertencente à mesma família da manga e do caju, a seriguela é uma anacardiácea originária da América central, sendo muito dispersa no México, Caribe, e muitos outros países da América Central, particularmente no Brasil. A palavra "seriguela" para muitas pessoas no Sul, Sudeste e até Centro-Oeste brasileiros, parece indicar algo estranho como comida de índio ou coisa parecida. 

Fruto tropical muito apreciado pela população Nordestina, já é hoje comercializada em outras regiões brasileiras, tendo um crescente valor econômico no mercado. Em muitos lugares é apreciado como "tira-gosto" de bebidas alcóolicas fortes como a cachaça. Atualmente, já faz parte da composição de sorvetes em muitas sorveterias nordestinas, sendo também muito utilizada na fabricação de licores e sucos, mas seu maior consumo é , sem sombra de dúvidas, "in natura". É tambem utilizada no preparo de pratos finos. 

Ela é rica em antioxidantes, compostos que atuam contra os temidos radicais livres, que danificam as células, causando tumores. 

Porém, não se sabe ao certo, se há quantidades suficientes dessa substância para prevenir a doença. Mas, não deixa de ser uma aliada para o organismo. 

Saiba também que a siriguela é cheia de fibras, que contribuem para o intestino e auxilia na redução das taxas de colesterol. Fonte de carboidratos, ela é uma alternativa energética de peso, apropriada á pessoas que praticam atividades físicas com freqüência. 

Fonte: Dúvida Cruel / Mundo das Tribos / Wikipédia 


Banda da semana...Skank


Os quatro integrantes do Skank - Samuel Rosa (guitarra e voz), Lelo Zaneti (baixo), Haroldo Júlio Ferreti de Souza (bateria) e Henrique Portugual (teclados) -- se juntaram em 1991, em Belo Horizonte. O grupo começou movido pelo interesse em transportar o clima do dance hall jamaicano para a tradição pop brasileira. Tendo como principais influências o reggae, o ska e o dub, a música do grupo tem atmosfera dançante e se tornou extremamente popular em 1994, com o álbum "Calango", que trouxe os sucessos como "Jackie Tequila", "Esmola", "Te Ver" e "Pacato Cidadão". Esse disco foi o segundo da carreira da banda. O primeiro, "Skank", havia sido gravado independentemente. 

Em 1996 o grupo lançou "Samba Poconé", que rendeu uma turnê internacional passando pelos Estados Unidos, Chile, Argentina e diversos países europeus. A canção "Garota Nacional" foi uma das mais tocadas no Brasil e liderou a parada espanhola por três meses. O disco vendeu 2 milhões de cópias e o Skank acabou entrando no álbum oficial da Copa do Mundo de 1998, "Allez! Ola! Olé!" com a faixa "Uma Partida de Futebol". Nos trabalhos seguintes, "Siderado" e "Maquinarama", de 1998 e 2000, respectivamente, o grupo se aprofundou um pouco mais nas experimentações psicodélicas e eletrônicas. Músicas muito executadas nas rádios como "Resposta", "Saidera", "Três Lados" e "Balada do Amor Inabalável" mostram as diferentes propostas testadas pelos mineiros. 

Em 2001 o Skank o lançou o CD e DVD "MTV ao Vivo", gravado na cidade de Ouro Preto, em Minas Gerais. Dois anos depois chegou "Cosmotron", que ganhou o prêmio de "Melhor Álbum de Rock Brasileiro" no 5ª Grammy Latino. Em 2004 foi lançado o DVD "Skank Multishow ao Vivo -- Cosmotron", com sucessos como "Supernova", "Por Um Triz", "Dois Rios" e "Um Segundo". No mesmo ano, o Skank lançou "Radiola", oitavo disco e primeira coletânea da carreira. O nono álbum da banda, "Carrossel", de 2006, traz baladas e hits inéditos, que marcam os 15 anos de carreira da banda. 

Dois anos depois do lançamento de "Carrossel", em outubro de 2008, o Skank reaparece com "Estandarte", lançado no mercado com uma forte campanha viral. Enquanto o primeiro single do disco, "Ainda Gosto Dela" – com participação de Negra Li – tocava nas rádios do Brasil, a banda promovia mais uma nova ação, o "Vote no Bis", deixando o público de seus shows escolher as canções que queria ouvir no Bis, através do envio de SMS. Em março de 2009, o Skank anunciou o segundo single' do álbum, "Sutilmente", canção eleita pelos fãs através de votação que a banda promoveu em seu site oficial. A revista Rolling Stone considerou-o um dos 25 melhores álbuns nacionais lançados em 2008 e a música "Chão" uma das 25 melhores canções. Em agosto de 2009, o Skank ganhou o troféu "Iniciativa de Mercado" na 16ª edição do Prêmio Multishow. Na mesma noite, a banda também levou o prêmio de Melhor Clipe por "Ainda Gosto Dela". No Vídeo Music Brasil 2009, o Skank ganhou o prêmio de Melhor Clipe, com a música "Sutilmente" (Samuel Rosa/Nando Reis). Ainda no mesmo ano, o álbum "Estandarte" foi indicado ao Grammy Latino 2009, na categoria "Melhor Álbum Pop Contemporâneo Brasileiro". No dia 19 de junho de 2010, o Skank gravou, no Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte, o CD, DVD e Blu Ray, "Multishow ao Vivo – Skank no Mineirão", projeto da banda em parceria com a Sony Music e o canal Multishow. 

O show, que contou com a participação especial da cantora Negra Li, fazendo um dueto com Samuel Rosa na música "Ainda gosto dela", recebeu mais de 50 mil pessoas e foi último evento realizado no estádio, antes de seu fechamento para reformas visando a Copa do Mundo de 2014 O projeto teve lançamento em outubro de 2010. A turnê teve estreia no dia 1º de outubro, no palco do Vivo Rio, Rio de Janeiro. Nos dias 19 e 20 de novembro, o novo show teve estreia em São Paulo, no Citibank Hall. Ainda em novembro de 2010, o Skank recebeu o 1º Prêmio de Música Digital, na categoria "Artista Mais Engajado Digitalmente" por ser considerada a banda que mais investiu nesse formato de aproximação com o seu público. Também naquele ano foi lançada uma versão comemorativa dos 15 anos de Calango com faixas bônus. O Samba Poconé receberá o mesmo tratamento. Em junho de 2011, o Skank se tornou a primeira banda brasileira a ganhar um Leão de Ouro no Cannes Lions, um importante prêmio de publicidade mundial. O prêmio foi dado ao projeto Skankplay, uma plataforma que possibilita que qualquer pessoa simule uma jam session com o Skank e participe do clipe da música "De Repente". O projeto – criado pelo coletivo DonTryThis, em parceria com o Skank -, foi premiado na categoria "Melhor Uso de Mídia Social". 

Fiquem agora com “Tanto”, uma das minhas favoritas. Grande abraço e até semana que vem. 


Long Live,  Rock’n Roll \o/ 

8 de fevereiro de 2013

Pudim de Maria Mole com Calda de Groselha


Essa receita é "tudimdebão". Separe os ingredientes e prepare essa deliciosa sobremesa para o fim de semana!


Ingredientes do Pudim:
1 xícara (chá) de leite quente
1 caixa de pó para Maria Mole
1 lata de leite condensado
1 caixa de creme de leite


Modo de Preparo:

Bata no liquidificar o leite e o pó para Maria Mole por 3 minutos.

Adicione o leite condensado e o creme de leite e bata mais um pouco.

Despeja a mistura em uma forma untada com óleo e leve para gelar por, no mínimo, 4 horas.


*****************************

Ingredientes da Calda de Groselha:
250g de groselha (fruta)
1 xícara (chá) de açúcar


Modo de Preparo:

Numa panela, de preferência de fundo grosso, coloque as frutas e o açúcar. Em fogo baixo, mexa até o açúcar dissolver e as frutas ficarem bem moles e soltando o suco. Prove, se sentir necessário, acrescente um pouco mais de açúcar. 


Passe a calda em uma peneira e espere esfriar antes de colocar no pudim.


Bom Apetite!



6 de fevereiro de 2013

Por um dia de graça


Estamos vivendo tempos difíceis, tantas tragédias, violência, corrupção e descaso acontecem que já viraram lugar comum em nossas vidas. Não deveria ser assim, não podemos nos acostumar. 

Há uma semana que o incêndio na boate de Santa Maria é assunto nos meios de comunicação. Peritos falam, autoridades falam, familiares falam, amigos falam, os jornalistas então estão se desdobrando para mostrarem ao telespectador um novo ângulo, fatos novos para melhor informar seu público. 

O pior disso, é que o assunto começa a ficar desgastado. As perguntas se repetem, e algumas francamente não deveriam ser feitas. Perguntar a alguém que passou por uma experiência tão traumática, a alguém que perdeu um filho, irmão ou amigo de uma forma tão triste, perguntar como essa pessoa “está se sentindo” ou “o que fica dessa experiência” e coisas assim, realmente, na minha opinião, é descabido. Há coisas que não valem a pena pela audiência. O respeito aos sentimentos humanos deve prevalecer. 

O que me preocupa nesse momento é que o poder público em várias cidades do país, está agindo energicamente, realizando vistorias em boates, teatros e estabelecimentos que promovem eventos desse tipo. Muitos estão sendo fechados, as exigências ao cumprimento das normas de segurança estão mais rigorosas, e ai me pergunto mais uma vez: até quando? 

Conforme o tempo passa o assunto tende a cair no esquecimento e tudo volta a ser como antes, com empresários picaretas que não cumprem as normas, autoridades fazendo vistas grossas ou nem mesmo fazendo as vistorias necessárias. E nós continuaremos em perigo. Um perigo oculto, pois não percebemos que ele está lá nos espreitando. 

Grande e grave erro de nossa parte, também somos fiscais. Também não podemos deixar a tragédia de Santa Maria cair no esquecimento. Precisamos cobrar, reclamar, deixar de consumir o que quer que seja que nos coloque em risco. Com certeza assim, conseguiremos ser ouvidos e deixaremos de ver tantas tragédias diárias e tenhamos mais dias de graça.



Macarrão Cremoso ao Forno



Lembro-me perfeitamente, na época em que era criança, como eu ficava feliz quando percebia que minha mãe tinha preparado esse macarrão. Ele não tem nada de especial, isto é, os ingredientes são básicos e o preparo bem simples, mas o resultado final.... hummmmm... esse sim é especial. Vamos para a receita?


Ingredientes:
1 pacote de macarrão "spaguetti"
5 xícaras (chá) de leite morno
1 lata de milho verde
300g de presunto cortado em tirinhas
200g de muçarela em fatias
1 cebola ralada
2 colheres (sopa) de farinha de trigo
2 colheres (sopa - bem cheia) de margarina
pitada de noz moscada
pitada de orégano
sal


Modo de Preparo:


Cozinhe o macarrão de acordo com as informações da embalagem. Reserve.

Em uma panela, derreta a margarina e doure a cebola ralada em fogo baixo. Quando ficar bem douradinha, acrescente a farinha de trigo e mexa rapidamente até formar uma "massinha". Junte o leite morno, aos poucos, até dissolver completamente a mistura. Mexa bem até começar a engrossar o molho branco e ficar numa textura bem cremosa. Incorpore o milho, o presunto, a pitada de noz moscada e orégano, e, por último, o sal.

Misture esse molho cremoso ao macarrão. Transfira para uma forma de vidro, cubra com a muçarela e leve ao forno pré-aquecido até gratinar.

Bom Apetite!


4 de fevereiro de 2013

Moela de Frango na Pressão


Para quem gosta de moela, essa é uma receita que eu adoro. Tem aquele gostinho de comida do interior, sabe? Ai, que delícia! Se for servido com arroz branco e salada de folhas, aí sim é a minha perdição (rs). Vamos ao passo a passo?


Ingredientes:
1 kg de moela de frango
2 cubos de caldo de carne
2 dentes de alho
2 cebolas médias em pétalas
1 cenoura grande em rodelas
2 colheres (sopa) de molho shoyo
2 coheres (sopa) de margarina
sal
cheiro verde



Modo de Preparo:

Lave as moelas em água corrente. Reserve.

Na panela de pressão, doure o alho e acrescente as moelas. Deixe fritar por 5 minutos. Cubra com água (aproximadamente, um dedo de água acima do nível da moela) e coloque os cubos de carne. Tampe a panela e deixe na pressão,após o apito, por 15 minutos em fogo baixo.

Desligue e aguarde sair toda a pressão. Abra a panela e retorne ao fogo baixo. Junte as cebolas, a cenoura, o shoyo e, se necessário, o sal. Tampe a panela e deixe na pressão por 5 minutos.

Novamente, aguarde sair toda a pressão e retorne ao fogo até secar a água.

Finalize com cheiro verde.

Bom Apetite!



Segunda Saudável:Sapucaia

Fonte: Fazenda Citra

Pelo nome de sapucaia é conhecido, no Brasil, um grande número de árvores que pertencem a família botânica das Lacitidáceas, a mesma da imponente castanheira-do-brasil ou castanheira-do-pará. 

Em sua maioria, as sapucaias caracterizam-se pela forma peculiar de seus frutos. Tratam-se de urnas ou caçambas, de casca dura e de aparência lenhosa, que encerram uma boa quantidade de amêndoas comestíveis muito apreciadas. Aos poucos, à medida que os frutos amadurecem, seus opérculos desprendem-se e as amêndoas espalham-se pela mata espontaneamente. É frequente, em uma mesma árvore, em um mesmo galho, encontrarem-se sapucaias abertas e fechadas. 

A sapucaia é árvore característica da floresta pluvial atlântica, ocorrendo desde o Ceará até o Rio de Janeiro. 

Com o grande desmatamento que essas áreas sofreram no passado, as sapucaias foram bastante reduzidas. No entanto, em algumas localidades, protegidas em parques ou reservas, ainda se vêem verdadeiras matas de sapucaias nativas destacando-se no conjunto florestal. A árvore pode ser também encontrada na região amazônica, e, em alguns casos, na alta floresta, ela apresenta a magnetude da natureza que a gerou, alcançando mais de 30 metros. 

As sapucaias e os seus frutos, nativos da terra brasileira, já eram bastante conhecidos e aproveitados pelas populações que habitavam o Brasil na época da chegada dos primeiros europeus, no século 16. Atraídos pelas qualidades das plantas - útil, exótica e ornamental - e impressionados com as suas peculiaridades, logo nos relatos dos primeiros viajantes encontram-se descrições e detalhamentos de sua conformação. 

De acordo com Eurico Teixeira, Pêro de Magalhães Gândavo descreveu os frutos das sapucaias como grandes cocos muito duros, repletos de castanhas doces e extremamente saborosas. Para ele, esses frutos não pareciam criados pela natureza e sim por algum artifício da indústria humana. Isso porque suas bocas, voltadas para baixo e cobertas por capas que caem sozinhas, permitem que também as castanhas possam cair e dissipar-se naturalmente. 

A flor da sapucaia 

Fonte: Jardineiro
Quando chega a época da floração, a sapucaia transforma-se: todo o verde da árvore fica encoberto por uma capa cor-de-rosa, um belo espetáculo propiciado pela conjunção das flores arroxeadas e intensamente aromáticas, que tomam a copa da árvore e mesclam-se com as folhas novas, que também nascem coloridas de rosa lilás. O chão fica coberto pelas cores das folhas e flores. Aos poucos, as folhas vão ficando esverdeadas e os frutos vão tomando a sua forma característica. 

As amêndoas aromáticas e oleaginosas da sapucaia podem ser consumidas cruas, cozidas ou assadas, constituindo-se em excelente alimento. Estas podem substituir, em igualdade de condições, as nozes, amêndoas ou castanhas européias comuns, prestando-se como ingrediente para doces, confeitos e pratos salgados. Vazios, os receptáculos das amêndoas são transformados pelo homem em uma variedade de objetos de uso: cumbucas, caçambas, vasos, potes, pratos, marmitas e o que mais for preciso. 

As amêndoas da sapucaia são muito apreciadas pelos animais silvestres, sendo especialmente aproveitadas pelos macacos, capazes como são de alcançar as amêndoas ainda dentro das cumbucas quando elas começam a se abrir lá no alto da árvore. Aliás, um fato curioso envolve esses animais e a fruta, que, por isso, é também conhecida como cumbuca-de-macaco ou marmita-de-macaco. 

Segundo conta Pio Corrêa e vários outros estudiosos, o macaquinho novo, inexperiente, quando se depara com uma sapucaia aberta e cheia de saborosas amêndoas, vai com muita sede ao pote, enfiando a mão na cumbuca para pegar um punhado delas, de uma vez só. Assim, quando tenta retirar a mão lá de dentro, não consegue e se machuca, pois sua mão cheia de amêndoas, por menor que seja, não passa pela estreita abertura da sapucaia. O macaco velho não age assim. Com a sabedoria de quem aprendeu se machucando algumas vezes quando ainda era jovem, ele usa as pontas dos dedos para retirar as amêndoas uma a uma, enquanto vai comendo. 

Ao que parece, foi a predileção dos macacos pelos frutos da sapucaia que deu origem ao provérbio: “Macaco velho não mete a mão em cumbuca!” 

Fonte: O Poder das Frutas / Wikipédia 


Banda da semana...Slade! 


Uma das mais importantes banda inglesas de todos os tempos, o quarteto de ferro do Slade é formado por Noddy Holder (vocals, guitar), Dave Hill (guitar), Jimmy Lea (bass) e Don Powell (drums). Esses quarto músicos despontaram no cenário em 1966, com o single “You better Run” produzido por Kim Fowley. 

Os anos seguinte não trariam nenhuma novidade para os músicos. O cenário não dava espaço para novas bandas com o tipo de som que o Slade fazia e com o visual que tinham seus integrantes. 

Com a entrada da década de 70, o Slade viu no chamado glam rock uma boa oportunidade de aparecer. A banda fez fotos promocionais no visual da época e lançou o single do cover "Get Down And Get With It", que chegou ao Top 20 em 1972. 

Os músicos se empolgaram e Jim Lea e Noddy Holder começaram a investir em composições próprias. ”Cuz I Love You” chegou ao número 1 das paradas. Até a presente data o Slade já havia lançado quatro discos: “Ambrose Slade Beginnings” (69), “Play It Loud” (70), “Alive!” (72), “Slayed?” (72). 

Nos anos seguintes o Slade se tornaria um campeão dos charts, enquanto músicas como "Mama Weer All Crazee Now", "Cum On Feel The Noize" e "Skweeze Me Pleeze Me” surgiam nas paradas. 

Em 73, o Slade participa de um famoso festival de natal no Reino Unido, e isso rende um álbum. A banda chegava ao topo do rock inglês. 

Os próximos álbuns foram: “New, Borrowed And Blue” (74), “Nobody's Fools” (76), “Whatever Happened To Slade” (78) e “Return To Base” (79). 

Fato curioso é que o Slade tinha o mesmo álbum com nomes diferentes para EUA e Reino Unido. “Old, New, Borrowed And Blue”, por exemplo, saiu na América com o título de “Stomp Your Hands, Clap Your Feet”. 

Em 1980, a banda faz uma apresentação no Reading Festival. Esta apresentação se tornaria o álbum “Slade Alive”. 

Em 1983, a banda ganha o mundo (inclusive o Brasil) com a balada “My oh My” do disco “The Amazing Kamikazee Syndrome”. 

Os anos 80, foram muito competitivos para a banda que disputava o espaço com grupos como Def Leppard (na Inglaterra) e com o Quiet Riot na América. 

Álbuns como “Rogues Gallery”, que traz a excelente “Hey Ho wish Well” e “You Boyz Make Big Noize”, não conseguiram emplacar, e a banda acabou dando um tempo na carreira, só vindo a lançar um novo álbum em 1996. 

O Slade é uma daquelas bandas que possuem milhares de coletâneas, para quem não conhece a banda, uma boa opção. Sugestões? “Smashes” (80), “Slade's Greats” (84) e “Greatest Hits: Feel The Noize” (97). 

Curtam agora uma das minhas favoritas,”My oh My”. Grande abraço e até semana que vem. 



Long Live, Rock’n Roll \o/ 




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Curta nossa Fanpage!

Receber Receitas

Tecnologia do Blogger.

Seguidores

Visitantes