16 de julho de 2012

Segunda Saudável: Mangaba

Google Imagens
Segundo dizem por aí, pelas pequenas cidades dos interiores brasileiros, no tempo certo para se apreciar o “espetáculo da mangabeira” basta sentar próximo à árvore e esperar os frutos maduros começarem a chuviscar no chão. Depois de iniciada a festa, é só recolher a safra e se deliciar.

A mangaba, que cai naturalmente quando madura, pode ser consumida por inteiro. A polpa da fruta é branco-esverdeada, contrastando com a casca amarela com estrias vermelhas, é impossível de separar-se dela. A fruta está boa para o consumo quando fica macia e se desfaz, produzindo um suco leitoso de sabor adocicado, prazer maior para seus muitos apreciadores.

A árvore, por si só, de copa ampla e arredondada, às vezes mais larga do que alta, tem também uma beleza a ser observada em detalhes. Seus ramos abundantes sustentam folhas avermelhadas, bem desenhadas por nervuras; as flores brancas e perfumadas, de cinco pétalas, têm a forma de delicados cata-ventos.

Trata-se de uma beleza nativa do Brasil, capaz de crescer não só nos terrenos arenosos e de baixa fertilidade da faixa litorânea quente e úmida como também em todo tipo de vegetação rala e clima árido, pelos cerrados, sertões, tabuleiros, caatingas e chapadas interioranos.

Bastante conhecida pelos nativos desde antes da chegada dos europeus, durante muito tempo o principal uso da mangabeira foi a extração de um látex de cor branca, encontrado em todas as partes da planta, inclusive na raiz. Era e continua sendo utilizado na fabricação de borracha e, na medicina popular, no tratamento auxiliar de doenças como tuberculose e úlceras.

Hoje em dia, entretanto, difundida por quase toda a América do Sul, o fruto é o que mais se aproveita. No Brasil, é encontrado de setembro a março nas feiras das cidades do Nordeste e do Centro-Oeste. Além de prazerosamente consumida na forma de sucos, a mangaba também se presta a um amplo rol de preparos e receitas: sorvetes, doces, compotas, geléias, vinagre, licores, vinho. Um único inconveniente: o pegajoso látex que a fruta desprende ao ser batido em liquidificador exige técnicas especiais na hora da limpeza.

Tendo o sabor da mangaba tão boa aprovação entre os consumidores, tanto os brasileiros como estrangeiros, pode-se afirmar que é fruto sub-aproveitado em termos econômicos, visto que não existe produção comercial significativa. Tampouco a produção do látex ganhou magnitude com o passar do tempo, embora tenha sido importante durante a Segunda Guerra Mundial, devido à escassez do látex de seringueira.

Impossível não recomendar: que abram os olhos para a mangaba agricultores e comerciantes e também aqueles que nunca tiveram o privilégio de provar o seu sabor tão especial. Não se arrependerão!

Nesta fruta pode-se encontrar vitaminas A, do complexo B e C. A mangaba também apresenta em sua composição fibras, minerais como ferro, cálcio e fósforo. Ela é considerada uma excelente fonte de ferro e vitamina C.

100 g de mangaba possui cerca de 43 calorias.

Benefícios proporcionados pelo consumo da mangaba:

•A presença das fibras garantem uma melhoria na ação intestinal

•Combate úlceras, herpes e tuberculose

•A infusão das folhas da mangabeira são eficazes contra problemas na pele (uso externo em forma de banho) e gripe (uso interno em forma de chá)

•Eficaz contra problemas hepáticos

•Atua como purgativo e laxante

•Atua contra mucos provinientes de gripe ou resfriado, conhecido como catarro


Utilizações na culinária

•Sucos

•Sorvetes

•Doces

•Mousses

•Bolos


Fonte: Nutrição em Foco / Som 13


Banda da semana...Maná!


A história do Maná começa no principio dos anos 80 período em que a banda lança dois álbuns Sombrero Verde e A Tiempo de Rock. Estes discos tiveram pouco sucesso e logo depois a banda mudou o nome para Maná, e gravaram um disco com o mesmo nome (1987) (gravaram o primeiro video, da música Robot). Depois lançaram Falta Amor (1990), disco que os trouxe reconhecimento na América Latina, com o primeiro grande sucesso Rayando El Sol, e outros sucessos como Buscándola e Perdido En Un Barco. Curiosidades: Neste mesmo disco, ouve a regravação da música No Me Mires Así, música que havia sido gravada originalmente no cd A Tiempo de Rock (quando a banda ainda tinha o nome de Sombrero Verde). Fher Olvera, vocalista da banda, convidou Alejandro Lora da banda El Tri para cantar um dueto com ele na música 'Falta Amor'.

Em 1992 Maná lança Donde Jugaran Los Niños. Neste disco integram Maná Vampiro e Ivan Gonzáles nos teclados, recebendo premios de vendas em quase todo o continente americano. Destaque para Oye mi amor, Como te deseo, Te Lloré Un Río e Vivir Sin Aire. Há no cd também alguns sucessos como Me Vale, Cachito e De Pies a Cabeza. Nas músicas Como Diablos e Huele a Tristeza, o vocalista Fher Olvera mostra suas habilidades na gaita, tocando em trechos das 2 músicas.

Dois anos depois, em 1994, é lançado Maná En Vivo, que mostra os melhores momentos da turnê promocional de Dónde Jugarán Los Niños. Nele, está a música El Rey, tocada em homenagem ao cantor mexicano José Alfredo Gimenez.

Em 1995 lançam Cuando Los Ángeles Lloran (em homenagem ao brasileiro Chico Mendes), com os sucessos, Como un perro enloquecido, Ana, Hundido En Un Rincón, Déjame Entrar (música que abriu maior parte ou todos os shows da turnê Amar Es Combatir) e No ha parado de llover. Também criam a Fundação Selva Negra, que se encarrega de proteger a ecologia das Américas. No cd também há uma música cujo nome é Selva Negra. Há também no cd músicas como Mis Ojos, El Reloj Cucu e Cuando Los Ángeles Lloran que obtiveram admiradores.

Em 1997 é lançado Sueños Liquidos, lançado em 26 países. En el muelle de San Blas, Hechicera y Clavado en un bar foram sucessos nas rádios. Como Dueles en Los Labios, Un Lobo Por Tu Amor e Robame el Alma também são músicas que ganharam fãs do CD. Em pouco tempo Maná ganha certificados de vendas em todos os países em que foi lançado, incluindo Espanha e Estados Unidos, onde o Maná tinha vendido até o momento 500 mil cópias.

Em 1999 gravam para a MTV o Acústico e em 2000 colaboram com Carlos Santana em seu álbum Supernatural, na música Corazón Espinado.

Depois de três anos Maná lança ao mercado Revolución de Amor. Este álbum teve como sucessos: "Angel de Amor", "Eres mi Religión" y "Mariposa Traicionera". O disco teve a colaboração de Carlos Santana e sua guitarra em "Justicia, Tierra y Libertad" e também com Ruben Blades em "Sabanas Frías". Por último, o destaque para Sergio Vallin Loera, que estreiou como vocalista cantando "Por que te vas?". No cd, Alex "El Animal" González é o vocalista das músicas Sin Tu Cariño, Fe e Nada Que Perder.

No final de 2003 lançam 3 compilações: Sol, Luna e Eclipse, que incluem os temas de maior sucesso e outras colaborações da banda, com a música inédita Té llevaré al cielo. 2004 foi um ano sabático para Maná.

Em 2004 saiu a venda o DVD chamado "Acceso Total", que inclui uma mistura de imagens de vários shows e bastidores.

Atualmente a banda de rock latino de maior sucesso. O penúltimo álbum chamado "Amar es Combatir" foi lançado mundialmente dia 22 de Agosto de 2006, e o primeiro single, Labios Compartidos, lançado dia 10 de Julho de 2006 teve sucesso imediato nas rádios mexicanas atingindo o primeiro lugar após quatro dias do lançamento. Nos EUA a canção atingiu o primeiro lugar nas rádios pop latinas em pouco mais de uma semana do lançamento e está subindo rapidamente na lista das mais tocadas das rádios latinas, ficando três semanas em primeiro lugar da Billboard Hot Latin Songs.

O Segundo Single "Bendita Tu Luz" assim como o primeiro single do último álbum da banda obteve grande exito nas rádios latinas dos EUA alcançando primeiro lugar da parada Hot Latin Songs da revista Billboard.

O terceiro single do álbum, lançado entre dezembro de 2006 e janeiro de 2007, é "Manda Una Señal", o video foi feito com imagens retiradas de um show nos EUA.

O quarto single, "Ojalá Pudiera Borrarte" foi lançado em junho de 2007 (durante a turnê) e filmado em um hotel da Argentina.

O penúltimo CD se caracteriza pela mistura de ritmos. Há algumas baladas românticas, há mistura de reggae, blues, cha cha cha, alguns ritmos latinos e rock.

Em 2008, Maná lançou o álbum ao vivo Arde El Cielo, em um pacote com CD ou um DVD incluso com um show na Colômbia. Em 2011, quebrando um hiato de 5 anos depois do último trabalho de estúdio, foi lançado sDrama y Luz em três versões, CD, CD e DVD com clipes e making of, e LP.

Confiram agora uma das minhas favoritas...”Labios Compatidos”.




Grande abraço e até semana que vem. Long Live, Rock’n Roll \o/

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Curta nossa Fanpage!

Receber Receitas

Tecnologia do Blogger.

Seguidores

Arquivo do blog

Visitantes