1 de abril de 2013

Segunda Saudável: Uva

Google Imagens
O cultivo da uva começou cerca de 6.000 a 8.000 anos atrás, no Oriente Médio. A levedura, um dos primeiros microorganismos conhecidos pelo homem, ocorre naturalmente na casca das uvas, levando a produção de bebidas alcoólicas, como o vinho. 

Os primeiros vestígios de vinho tinto são vistos na Armênia antiga, onde foi encontrada a adega mais antiga do mundo, datando de cerca de 4.000 a.C.. Por volta do Século IX, a cidade de Shiraz era conhecido por produzir um dos melhores vinhos do Oriente Médio. Assim, tem sido proposto que o nome do vinho tinto de Syrah possui origens em Shiraz, uma cidade na Pérsia, onde a uva foi usada para fazer vinho Shirazi. Hieróglifos no Antigo Egito recordam o cultivo de uvas, e a história atesta também que povos antigos da Grécia, Fenícia e Roma também cultivavam uvas para a alimentação e produção de vinho. Mais tarde, o cultivo de uvas se espalhou pela Europa, norte da África e, finalmente, América do Norte. Uvas pertencentes ao gênero Vitis proliferaram naturalmente nas selvas da América do Norte, e foram parte da dieta de muitos nativos americanos, mas foram considerados pelos colonizadores europeus como impróprio para a produção de vinho. 

No Brasil o cultivo da videira começou em 1535, na Capitania de São Vicente trazida pelos portugueses. A imigração italiana em São Paulo e na Região Sul do Brasil no final do século XIX deu um grande impulso à cultura. 

O consumidor pode saborear uva o ano todo. Uma pesquisa sobre os hábitos de compra do consumidor de uva feita pela equipe do CQH da CEAGESP mostrou que os consumidores procuram a uva nas gôndolas e que a doçura é a característica determinante da compra. 

São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Pernambuco e Bahia são grandes produtores. As melhores épocas de produção variam com as características climáticas de cada região. 

No Entreposto Terminal de São Paulo da CEAGESP predominam as uvas originárias do estado de São Paulo das regiões de Botucatu, Campinas, Itapetininga e Sorocaba, no período de novembro a março, e de Dracena e Jales de julho a novembro. O Estado do Paraná é o maior fornecedor nacional de julho a novembro, uma janela de mercado onde entram poucos fornecedores. O Nordeste do Brasil concentra a sua oferta de agosto a dezembro. 

A uva, além de uma fruta muito saborosa, é altamente recomendada para a saúde, já que contém boa fonte de propriedades nutricionais, como a vitamina C e vitaminas do complexo B. 

Como sabemos, a uva é usada na fabricação de vinhos e sucos. Tanto no vinho como no suco são encontrados dois elementos: o resveratrol (que eliminam plaquetas causadoras de coágulos que pode entupir as artérias) e flavonóides, que são oxidantes e inibem o envelhecimento das células. 

A uva - tanto as vermelhas, roxas ou pretas - é boa para o coração, funciona como diurético e como laxante natural, atuando contra alguns problemas do intestino. A casca da uva aumenta o colesterol HDL (colesterol bom) e a uva verde tem poderes antivirais e antibacterianos. A melhor maneira de usufruir das suas propriedades é utilizar em sua forma natural. Assim é possível aproveitar o potássio, o cálcio, o magnésio e os minerais que ela contém. Com tantos benefícios, a poderosa fruta ainda contribui para a longevidade. 

Por ser rica em vitaminas A, B e C, além de proteínas, carboidratos, iodo, fósforo e flavonóides, a uva protege o coração contra infartos, já que ajuda a desobstruir as artérias e regula as taxas de colesterol no sangue. Também melhora o funcionamento do fígado e dos rins, auxilia o estômago a se recuperar mais facilmente de úlceras e da gastrite, além de eliminar ácido úrico do sangue. 

As uvas verdes possuem uma menor quantidade de flavonóides, substâncias com função antiinflamatória que também protegem o organismo contra o ataque dos radicais livres. Sendo assim, seus benefícios ao organismo são reduzidos se comparados aos das uvas preta, roxa e rosada. 

Tomar 2 copos de suco de uva por dia pode reduzir em até 40% o risco de sofrer infarto, pois a fruta previne a obstrução de artérias. 


Alguns tipos de Uvas 


NACIONAL 
Fonte: Globo Rural

Também conhecida como uva Isabel, é o tipo mais plantado no Brasil, ocupando quase a metade das videiras. O nome é uma homenagem à americana Isabella Gibbs, que iniciou o cultivo nos Estados Unidos, no início do século 19. Excelente para a produção de geléias e sucos, sofre com a fragilidade para o transporte e armazenamento. 




NIAGARA ROSADA 

Fonte: Revista Adega
Chamada também de uva rosada, é uma variedade brasileira. Foi descoberta no meio de uma plantação de niagaras brancas nos vinhedos de Louveira (SP) em 1933. Encontrada por acaso por um agricultor, espalhou-se pelo estado de São Paulo. A fruta de polpa mole e doce é o tipo de uva mais consumido no país. 






CABERNET SAUVIGNON 

Fonte: Arrowhead Wine
É uma das uvas mais nobres, servindo de base para os famosos vinhos tintos da região de Bordeaux, na França. A excelente qualidade da bebida, cujo aroma e buquê evoluem com o envelhecimento, fez com que a cultura se expandisse pela Itália, Espanha, Grécia e Estados Unidos. O cultivo da cabernet responde por só 0,5% do total de uvas plantadas no Brasil. 





THOMPSON 

Fonte: Embrapa
É o tipo mais plantado no mundo. Originalmente chamada de sultanina, apareceu na Ásia Menor há muitos séculos. Na América, foi rebatizada em homenagem a William Thompson, primeiro a cultivá-la na Califórnia. Seu grande atrativo é não ter sementes, o que faz dela a uva mais popular nos Estados Unidos. Também serve para produzir passas. 








CHARDONNAY 
Fonte: Enoleigos

Essa variedade de cachos pequenos é a mais tradicional na produção de vinhos brancos em todo o mundo. Ganhou fama no século 19, na região da Borgonha, na França, e começou a ser plantada no Brasil na década de 1980. Por aqui, a produção aumentou nos últimos 15 anos, mas ainda representa apenas 0,1% do total dos vinhedos cultivados. 







MOSCATEL BRANCA 

Fonte: Fruta Mimosa
Surgida provavelmente na Grécia antiga, essa uva verde-amarelada de aroma forte se adaptou bem aos diversos continentes para onde foi levada. Em cada país, recebia um nome diferente - o "moscatel" apareceu na região de Setúbal, em Portugal. No Brasil, é usada para a alimentação e na produção de vinhos brancos. 







ITÁLIA 

Fonte: Colecionando Frutas
Batizada pelo italiano Alberto Pirovano em 1927, surgiu a partir de um cruzamento entre as uvas bicane e moscatel de Hamburgo. Sua polpa saborosa não costuma ser usada para a produção de vinhos, mas é um tipo bastante apreciado como fruta fresca. Tem uma versão rosada, chamada no Brasil de uva-rubi. 






MERLOT 

Fonte: Tenuta Dei Mille


Junto com a cabernet, pinot noir e syrah, é considerado um dos quatro tipos mais requisitados para os vinhos tintos. Também surgiu em Bordeaux, na França. Em 1900, fixou-se no Rio Grande do Sul, onde mais de 5 mil toneladas anuais (0,6% da produção nacional) servem de matéria-prima para a bebida. 




Fonte: O Poder das Frutas / Wikipédia 






Banda da semana...U2


U2 é uma banda de rock irlandesa formada no ano de 1976. O grupo é composto por Bono (vocal e guitarra), The Edge (guitarra, teclado e backing vocal), Adam Clayton (baixo) e Larry Mullen Jr. (bateria e percussão). O som do U2, inicialmente enraizado no pós-punk, eventualmente cresceu para incorporar influências de muitos gêneros da música popular. Ao longo das mudanças do grupo, eles sempre têm mantido um som construído sobre instrumentos melódicos, com destaque para as texturas e acordes do guitarrista de The Edge e dos vocais expressivos de Bono. Suas letras, muitas vezes embelezadas com imagens espirituais, têm foco em temas pessoais e preocupações sócio-políticas. 

O U2 foi formado no Mount Temple Comprehensive School quando os membros eram ainda adolescentes e com conhecimento musical limitado. Após quatro anos, eles assinaram com a gravadora Island Records e lançaram seu álbum de estreia, Boy (1980). Em meados da década de 1980, tornaram-se uma banda de sucesso internacional. Foram mais bem sucedidos com suas performances ao vivo do que com a venda dos álbuns, até lançarem o álbum The Joshua Tree (1987), que, segundo a Rolling Stone, elevou a banda à estatura de "heróis para super-estrelas". Reagindo à estagnação musical no final da década de 1980, à crítica de sua séria imagem e de sua transformação musical, o grupo se reinventou com o álbum Achtung Baby (1991), e o acompanhamento da turnê Zoo TV Tour. A banda integrou influências de dance music, música industrial e rock alternativo em seu estilo musical e performances, abraçando uma imagem mais irônica e auto-depreciativa. A experimentação continuou durante o resto da década de 1990 com níveis mistos de sucesso. O U2 recuperou a seu favor, os fãs e os elogios dos críticos musicais logo após o lançamento de All That You Can't Leave Behind (2000). A partir deste álbum eles adotaram um som mais convencional, mantendo influências de suas explorações musicais anteriores. 

O grupo lançou 12 álbuns de estúdio e está na lista de artistas com maior venda de álbuns do mundo, tendo vendido mais de 150 milhões de discos mundialmente. Ganharam 22 Prêmios Grammy, mais do que qualquer outra banda. Em 2005 o grupo foi introduzido no Rock and Roll Hall of Fame. A Rolling Stone classificou o U2 na 22ª posição na lista dos "100 Maiores Artistas de Todos os Tempos". Por toda sua carreira, como banda e como indivíduos, fizeram campanhas pelos direitos humanos e causas filantrópicas. 

Fiquem agora com umas das minhas favoritas “Bad”. Grande abraço e até semana que vem. 



Long Live, Rock’n Roll \o/


0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Curta nossa Fanpage!

Receber Receitas

Tecnologia do Blogger.

Seguidores

Arquivo do blog

Visitantes