28 de janeiro de 2013

Segunda Saudável: Sapoti

Google Imagens
Esta fruta, semelhante ao caqui em sabor e nutrientes, é cultivada no Brasil principalmente no Nordeste. 

O seu fruto, quando verde, é rico em tanino, porém quando amadurece essa substância desaparece por completo. 

Seu fruto é muito saboroso, doce e não possui substâncias ácidas. Em virtude da presença de fibras, é um laxante suave e eficaz. Facilita a produção de bílis (ação colerética) como sua eliminação (ação colagoga). Excelente no combate às doenças do fígado e da vesícula biliar, tem ainda ação diurética e anti-inflamatória. 

As vitaminas do sapoti são a A, B1, B2, B5, e C. Sais minerais: cálcio, fósforo, ferro, magnésio, silício, potássio e sódio. 

O látex produzido por essa árvore é extraído e utilizado para fabricar a goma de mascar (chiclete). Hoje existem chicletes artificiais com seivas de outras árvores, inclusive a partir dos derivados de petróleo, às quais são adicionados corantes, conservantes, açúcares, fragrâncias e essências de sabor. 

As sementes do sapoti trituradas e diluídas em água são diuréticas e usadas também contra cálculos renais. 

O fruto pode ser ingerido ao natural ou em forma de suco. 

Os maias, que costumavam ter grande precisão e elegância na linguagem relacionada a natureza, chamavam de “zapote” todas as frutas de polpa cremosa e de sabor doce, segundo conta Clara Inês Olaya. Hoje existem mais de 400 espécies de saponáceas americanas, entre elas o sapoti, fruto também conhecido no México e em outras partes da América Latina como “níspero”. 

Embora muito apreciados, os sapotis devem ser consumidos apenas quando estiverem maduros, pois, quando verdes, possuem látex e tanino de sabor desagradável. 

Mas nem só o fruto, a fruta, que como já vimos é rico em vitaminas e sais minerais, principalmente ferro, era e permanece sendo muito apreciado. A árvore como um todo, frondosa e elegante, era grande amiga de maias e astecas. Sua madeira, forte e elástica, era matéria-prima para boa parte de suas construções, inclusive algumas que ainda fazem história, ruínas turísticas resistindo ao tempo. 

Arredondado ou oval, de casca amarronzada, por vezes esverdeada, o miolo do sapoti apresenta uma curiosa forma de estrela, delineada pelas sementes negras distribuídas pela polpa quase translúcida. Esta polpa, de coloração marron-amarelada e farinhenta, apresenta um sabor incomparável, atraindo legiões de admiradores. 

Fonte: Poder das Frutas / Wikipédia 


Banda da semana...The Smiths


Os Smiths foram responsáveis pela revolução no rock britânico dos anos 80 que deixou de lado a new wave e os sintetizadores para aderir novamente às guitarras. As influências da banda podiam ser achadas espalhadas no rock clássico dos anos 50 e 60 e no punk dos anos 70. 

O núcleo da banda foi formado pelo vocalista Morrissey (Steven Patrick Morrissey) e pelo guitarrista Johnny Marr (John Maher), pessoas de comportamento e atitudes musicais opostas, que levaram à definição do estilo do Smith e ao posterior fim da banda (Marr representando a porção rebelde e rock and roll da banda enquanto Morrissey representava a porção pop e poética). Em 1982, em Manchester, Marr já havia tocado profissionalmente em algumas bandas, enquanto Morrissey era apenas um jovem poeta presidente do fã clube local dos new York Dolls. As letras de Morrissey se adaptariam bem às melodias de Marr e, juntamente com o baixista Andy Rourke e o baterista Mike Joyce resolveram montar a banda Smiths. 

O seu primeiro single, Hand In Glove, se tornaria em 1983 uma constante no meio underground inglês, o que levou a banda a abandonar os pequenos clubes em Manchester para algumas apresentações em Londres. A banda rapidamente se tornou conhecida da imprensa inglesa em função das referências homosexuais nas letras. 

Ao ser lançado em 1984 o álbum The Smiths imediatamente subiu até o segundo lugar em vendas na Inglaterra. Algumas letras de Morrissey passam a ser constantemente mal interpretadas (sendo consideradas incentivos ao assassinato e abuso sexual de crianças), o que leva a banda a ter uma divulgação ainda maior. 

O segundo álbum, Meat is Murder, entra nas paradas inglesas no primeiro posto em 1985. O título é uma referência ao vegetarianismo adotado por Morrissey. O tema do terceiro álbum, Queen Is Dead, de 1986, era mais agressivo, com críticas políticas ao governo de Margareth Tatcher. 

Marr sofreria um sério acidente de automóvel em 1986 que colocou a carreira da banda em suspenso. No meio tempo o guitarrista Craig Gannon (que havia assumido pouco antes) e o baixista Andy Rourke foram demitidos dos Smiths por problemas com heroína. Rourke voltaria à banda dentro de alguns meses. 

Em 1987, em meio à fase de maior sucesso da banda, as tensões entre Marr e Morrissey também chegaram ao ponto máximo. Logo após o lançamento de Strangeways Here We Come a banda foi desfeita. Marr viria a formar juntamente com Bernard Sumner (do New order) a banda Electronic, Mike Joyce entraria para o Buzzcocks, enquanto Morrissey seguiria uma bem sucedida carreira solo. 

Fiquem agora com uma das minhas favoritas,” The Boy With The Thorn In His Side”. Grande abraço e até semana que vem. 



Long Live, Rock’n Roll \o/ 


0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Curta nossa Fanpage!

Receber Receitas

Tecnologia do Blogger.

Seguidores

Arquivo do blog

Visitantes