25 de junho de 2012

Segunda Saudável: Mamão

Google Imagens
O mamão (Carica papaya), originário da América Tropical, é uma das melhores frutas do mundo, tanto pelo seu valor nutritivo, como pelo poder medicinal.

Cada parte desta planta é preciosa, a começar pelo tronco! De sua parte interna, retira-se uma polpa que - depois de ralada e seca - assemelha-se ao coco ralado. É rica em propriedades nutritivas e aproveitada em alguns lugares no preparo de deliciosas rapaduras.

O cozimento das raízes dá um tônico para os nervos que é também remédio para as hemorragias renais.

As folhas do mamoeiro, após secas à sombra, têm aplicação no preparo de agradável chá digestivo que pode ser dado livremente às crianças, pois não contém cafeína.

O suco leitoso extraído das folhas é o vermífugo mais enérgico que se conhece. Usa-se diluído em água. Ainda é digestivo e cura feridas. Em diversos lugares, a medicina popular o utiliza para tratar eczemas, verrugas e úlceras.

Os índios preparam a carne envolvendo-a com folhas de mamoeiro por algumas horas antes de levá-la ao fogo. Este processo amacia a carne.

Com as flores do mamoeiro macho prepara-se um maravilhoso xarope que combate a rouquidão, tosse, bronquite, gripe e indisposições gástricas causadas por resfriados.

Coloca-se um punhado de flores, com um pouco de mel em vasilha resistente ao calor, mas que não seja de alumínio. Acrescenta-se um copo de água fervendo, tapando-se bem. Depois de esfriar, toma-se às colheradas, de hora em hora.

Com o fruto verde faz-se um doce maravilhoso. Pode-se também prepará-lo ensopado ou ao molho branco. É uma iguaria!

O mamão maduro:

* é altamente digestivo (cada grama de papaína – fermento solúvel contido no fruto – digere 200g de proteína)
* tem mais vitamina C que a laranja e o limão;
* contribui para o equilíbrio ácido-alcalino do organismo;
* é diurético, emoliente, laxante e refrescante;
* cura prisão de ventre crônica;
* comido em jejum, pela manhã, faz bem ao estômago;
* é eficaz contra a diabete, asma e icterícia;
* bom depurativo do sangue;
* não pode faltar na alimentação da criança, pois favorece o seu crescimento.

Depois de comer-se o mamão, esfrega-se a parte interna da casca sobre a pele para tirar manchas, suavizar a cútis áspera e eliminar rugas.

Mastigar de 10 a 15 sementes frescas elimina vermes intestinais, regenera o fígado e limpa o estômago. Comidas em quantidade, são eficazes contra câncer e tuberculose.

Faltava dizer que qualquer uso que se faça de qualquer parte desta planta, traz consigo uma ação vermífuga poderosa, o que bastaria para destacar sua importância.

Fonte: Arte de Nutrir / Pega Cifras Uol



Banda da semana...Marillion!


O Marillion teve sua origem no início dos anos 80 apresentando-se como o principal representante da nova geração do Rock Progressivo Inglês, já que este estava em decadência desde o aparecimento do Movimento Punk e do New Wave, além do abandono do estilo feito pelas bandas consideradas seus principais “medalhões”, como o Genesis, Yes, ELP e Pink Floyd.

A primeira formação geralmente é conhecida como “Era Fish”, quando a banda era liderada pelo vocalista e letrista escocês Dereck William Dick, artisticamente conhecido como FISH. De estilo performático e dramático, foi com essa formação (Fish - vocais, Steve Rothery - guitarra, Pete Trevawas - baixo, Ian Mosley - bateria e Mark Kelly - teclados) considerada pela maioria dos fãs de “clássica”, que o Marillion atingiria seu auge comercial e de crítica com o disco Misplaced Childhood (disco que contém seu principal sucesso comercial, a música Kayleigh).

Essa formação ao total lançaria 4 discos de estúdio (com exceção do primeiro de estúdio, “Script for a Jester’s Tears”, que teve como baterista Mike Pointer, atual Arena), uma coletânea de singles inéditos e sobras de estúdio (B-Sides Themselves), além de 3 discos ao vivo. Em 1988, por problemas de relacionamento com a banda, Fish deixa o Marillion e parte para uma carreira solo (que mantém ativa até os dias atuais).

Isso abre espaço para a entrada do vocalista Steve Hogarth, que se mantém até os dias atuais, tendo lançado oficialmente mais de 10 álbuns de músicas inéditas (e mais uma infinidade de discos ao vivo, edições exclusivas de faixas não lançadas e material raro voltado para o fã clube e disponíveis diretamente no site oficial da banda) com a banda desde então. De estilo mais discreto e menos teatral do que o vocalista anterior, H (como é conhecido pelos fãs) compensa essa “falta” com um vocal extremamente técnico e melódico, além de ter ajudado a manter o alto nível das composições dos tempos da “Era Fish”. Além de vocalista, é um instrumentista competente e participa ativamente na composição musical das faixas.

O início da “Era H” começa com uma tentativa de manter o estilo consolidado nos anos 80, mas dando uma roupagem mais “pop” e com mais músicas voltadas para o mainstream, mas com resultados decepcionantes para a gravadora EMI. A despeito disso, foi nesse período que a banda produziu aquele que até hoje é considerado com um dos melhores momentos criativos da banda, o disco “Brave”.

Na segunda metade dos anos 90, o Marillion entra numa fase contínua de experimentalismo e de atualização do seu trabalho, adotando elementos eletrônicos e do chamado “novo rock inglês”, não sendo mais possível, portanto, ser mais classificado apenas como uma banda de “rock progressivo”, sem, contudo, deixar que essas origens desapareçam nas composições.

A partir de 1997, a banda passa a ser totalmente independente com a criação de sua própria gravadora (Racket Records) e vem utlizando desde então várias campanhas de financiamento diretamente com os fãs, sem precisar das gravadoras, para produzir, gravar e distribuir seus discos.

Seu 14º álbum, “Somewhere Else”, foi lançado em abril de 2007. Em novembro do mesmo ano, a banda anunciou em seu site a pré-produção (e pré-venda) do 15º disco, que será duplo (assim como havia sido o já considerado clássico “Marbles” de 2004 em edição especial somente disponível no site).

Finalmente o 15º disco saiu em outubro de 2008 em edição de dois volumes (“Happiness is the road”:
Volume 1 - Essence Only, Volume 2 - The Hard Shouldery).

Para 2012 a banda anunciou uma grande tunê em vários países da América do Norte e América do Sul, tendo o Brasil como um dos destinos, país onde a banda não se apresenta desde 1997. A banda também anunciou que está em processo de gravação de seu 16º disco de estúdio, com previsão para o segundo semestre de 2012.

Curtam agora uma das minhas favoritas...”No one can”. Grande abraço e até semana que vem.


Long Live, Rock’n Roll \o/

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Curta nossa Fanpage!

Receber Receitas

Tecnologia do Blogger.

Seguidores

Arquivo do blog

Visitantes