26 de dezembro de 2011

Segunda Saudável: Ervilha

Pensa-se que a ervilha é originária da Ásia Central e da Europa e tem sido consumida pelo homem há milhares e milhares de anos. Na verdade, as ervilhas são mencionadas na Bíblia e eram apreciadas pelas civilizações antigas do Egito, Grécia e Roma.

No entanto, só no século XVI, quando se criaram as técnicas de cultivo de variedades mais tenras, as pessoas começaram a consumir o grão no estado fresco, ao contrário de comer apenas as ervilhas secas. Parece que os chineses, uma cultura que havia consumido este legume já em 2000 AC, foram os primeiros a consumir tanto as sementes e as vagens como um vegetal.

O rei francês Louis XIV popularizou as ervilhas no século XVII, tornando-os um item de grande consideração nos menus de festas do seu palácio, e sugerindo que as ervilhas foram desenvolvidas na Holanda por volta da mesma altura. As ervilhas foram introduzidas Estados Unidos logo após os primeiros colonos se estabeleceram neste país.

No século XIX, durante a evolução inicial do estudo da genética, a ervilha desempenhou um papel importante. O monge e botânico, Gregor Mendel utilizou ervilhas nas suas experiências em melhoramento de plantas.

Hoje, os maiores produtores comerciais de ervilhas frescas são os Estados Unidos, Grã-Bretanha, China, Hungria e Índia.

Utilizadas na famosa experiência de Mendel, na qual foram descobertas as leis da herança biológica, a ervilha é uma leguminosa de origem europeia, tendo sido bastante difundida, também, em algumas regiões da Ásia. As ervilhas são retiradas das vagens da espécie Pisum sativum, constituindo um ótimo alimento.

Em relação aos grãos, existem dois tipos. O grão liso, embora seja mais resistente e de fácil amadurecimento, é pequeno e pouco apreciado em relação ao grão rugoso, que possui um tamanho maior e um sabor mais doce.

A ervilha oferece muitos benefícios à saúde, variando conforme a espécie do grão. De uma forma geral, podemos afirmar que os grãos possuem sais minerais, como cálcio, fósforo, ferro, enxofre, potássio e cobre, elementos que são constituintes estruturais dos tecidos corpóreos e reguladores orgânicos que controlam os impulsos nervosos. A leguminosa também possui vitaminas A, importante para a visão e para a formação de ossos; vitaminas do complexo B, que desempenham um papel importante no metabolismo energético; e vitamina C, importante nos processos de cicatrização.

Nos últimos vinte anos, o Brasil reduziu a importação da ervilha de forma significativa (70%). Isso se deve ao esforço feito pela Embrapa no sentido de desenvolver espécies mais resistentes às doenças e mais proveitosas que as espécies importadas.

O período de safra da ervilha vai de junho a agosto. A leguminosa é utilizada na preparação de pratos, como sopas, saladas, carnes, tortas, etc. Em algumas regiões do mundo, os grãos são consumidos juntamente com as vagens.

Fonte: Wikipédia

Banda da semana...Eric Clapton!


Eric Clapton nasceu em Ripley, Inglaterra, em 30 de março de 1945. A paixão pelo R&B de artistas como Robert Johnson e Muddy Watters o levou a desde cedo aprender a tocar guitarra e participar de todas as bandas que pudesse.

Expulso da escola de artes por rebeldia, aprendeu a tocar em pubs e pequenos shows. Se juntou aos Yardbirds, banda inglesa de grande influência que teve o mérito de reunir três dos maiores guitarristas de todos os tempos em sua formação: Eric Clapton, Jeff Beck e Jimmy Page (que mais tarde formaria o Led Zeppelin).

Abandonou os Yardbirds em 1966 e após duas passagens pelos Bluesbreakers, da qual saiu por não suportar a rigidez de J. Mayall, formou, juntamente com o baterista Ginger Baker e o baixista Jack Bruce, a banda Cream, que gravou três álbuns e se desfez por diferenças musicais após menos de dois anos de carreira muito produtiva.

Com o fim do Cream Clapton se tornou músico de estúdio, gravando um disco solo e tendo uma rápida passagem pela banda Blind Faith com quem gravou um único disco. Entre outras participações especiais gravou com os Beatles o solo de guitarra da música While My Guitar Gently Weeps. A sua ligação com os Beatles porém infelizmente não se resumiu a sua participação em algumas músicas; durante anos manteve um relacionamento mais do que amigável com Patty Boyd, esposa de George Harrison, num triângulo amoroso que durou anos, a início às escondidas e depois abertamente, o que incrivelmente não abalou a amizade entre os guitarristas.

Juntamente com dissidentes da banda Delanie and Bonnie and Friends (que abria shows para o Blind Faith), Clapton montou a banda Derek and The Dominos, com quem lançou um de seus maiores sucessos, a música "Layla", abertamente dedicada à esposa de George Harrison. Participava também da banda Duane Allman (do Allman Brothers).

"Layla and other assorted songs" foi um fracasso de vendas, e por isso a gravadora imprimiu nos discos a frase "Derek is Eric", afim de alavancar as vendas. Não só a música "Layla" como todo o resto do album é dedicado à Patty Boyd, inclusive uma inspiradíssima "Have you ever loved a Woman", onde ele canta "Have you ever loved a Woman so much you drown in pain, 'cus everytime you know she belongs to your very best friend".

No início da década de 70 os problemas pessoais e conflitos emocionais levaram Clapton a uma difícil fase de vício em heroína, e um consequente ostracismo durante alguns anos. A volta ocorreu em 1974 com a inesperada "I Shot The Sheriff", um reggae. Clapton foi o responsável pelo lançamento para as paradas mundiais de Bob Marley. A boa fase musical rendeu também o clássico "Cocaine" em 1978. Durante a década de 80 a aceitação por parte do público foi crescente.

Em 1990 Clapton ganhou seu primeiro Grammy com a música Bad Love. Sua fama aumentava ainda como compositor de excelentes trilhas sonoras para filmes (entre outras, "Rush").

Em 1992 ironicamente alcançou o maior sucesso de sua carreira com a música "Tears In Heaven", dedicada ao filho morto aos quatro anos ao cair da janela do apartamento da namorada de Clapton. O disco acústico contendo a música e regravações de outros clássicos foi um sucesso absoluto e ganhou dezenas de prêmios, inclusive seis Grammys. O disco Unplugged marcou ainda uma volta de Clapton às suas raízes de blues, confirmada com o álbum "From The Craddle", apenas de canções tradicionais, um tributo aos clássicos que influenciaram o seu estilo.

Eric Clapton é considerado um dos mais perfeitos guitarristas da história, tocando com extrema técnica e sentimento, além de um estilo inconfundível. No auge da adoração de seus fãs na década de 70 uma pichação em um muro de Londres resumia o fascínio que sua música exercia: "Clapton Is God".

Curtam agora “Wonderful Tonight”...um dos seus maiores sucessos!

Grande abraço e até semana que vem! Long Live, Rock´n Roll \o/


 

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Curta nossa Fanpage!

Receber Receitas

Tecnologia do Blogger.

Seguidores

Arquivo do blog

Visitantes