13 de outubro de 2014

Segunda Saudável: Tucumã

Fonte: Portal Amazônia
O tucumã é uma fruta de palmeira natural da Amazônia. Tem sabor salgado e oleoso. Fruto do tucumanzeiro, palmeira que chega a alcançar 10m de altura. Essa palmeira produz cachos com numerosos frutos de formato ovóide, casca amarelo-esverdeada e polpa fibrosa, amarela, característica, que reveste o caroço. A casca é também utilizada para fazer cosméticos. Da sua palmeira aproveitam as folhas, que são bastante resistentes e utilizadas para produção de cordas, redes de pesca e de dormir. Sua madeira é dura e resistente utilizada na fabricação de utensílios em geral.
 
Em outras regiões, o tucumã também é conhecido como: acaiúra, acuiuru, coqueiro-tucumã, tucum, tucumã-açu, tucumã-arara, tucum-açu, tucumaí-da-terra-firme, tucumãí-uaçu, tucumã-piririca, tucumã-purupuru e tucum-do-mato.
 
O tucumã tem características semelhantes à forma e composição do buriti.
 
Em Manaus, a polpa da fruta é consumida in natura ou comumente em recheio de tapiocas, sanduíche, ingrediente para pizza... Comum nos cafés das manhãs regional, e também em alguns pratos típicos da culinária local. Pra quem não é de Manaus, as primeiras mordidas lembra o gosto de madeira.
 
O sanduiche de tucumã, o “x-caboquinho”. Feito com pão francês, queijo coalho, tucumã e, em alguns casos, banana frita, ele é a atração principal dos cafés regionais que se espalham pelo estado. Na escola: caboclo é a mistura do branco com o índio. Portanto, o homem da floresta: no seu próprio falar, o “caboco” ou “cabuco”. O termo, especialmente em centros urbanos, pode ganhar conotação pejorativa. Mas, no batizar do sanduíche, o X afastou o risco da referência provinciana e o diminutivo (caboquinho) conferiu um tom carinhoso ao nome. Não é só a sua popularidade que nos chama a atenção: o x-caboquinho na sua preparação levam 2 tucumãs, o que bastaria 1 para suprir as necessidades diárias de Vit A. Logo, o fruto não é só gostoso, também é nutritivo.
 
Fonte: Descobrindo a Amazônia / Revista Rolling Stones
 
 
 
As 100 Maiores Músicas Brasileiras: "Sentado à Beira do Caminho" – Erasmo Carlos (nº 74)

 
A canção apareceu primeiro em compacto simples, em 1969. Ao ser incluída no último disco de Erasmo Carlos para a RGE, “Sentado à Beira do Caminho” tornou-se um hit nacional. A letra traz a desilusão amorosa irreversível. A inspiração da melodia e do clima da música veio de “Honey”, do americano Bobby Goldsboro, lançada um ano antes.
 
 
 
Grande abraço e até semana que vem.

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Curta nossa Fanpage!

Receber Receitas

Tecnologia do Blogger.

Seguidores

Visitantes